Transformados

“Não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente…” (Romanos 12:2a).

As vezes pensamos que Deus, num capricho cósmico, nos colocou sobre os ombros a incapacidade de sermos melhores.
Mas isso não é verdade; na Bíblia o ensino do Antigo Testamento apresenta várias leis que objetivavam uma melhor qualidade de vida, tratamento de doenças, restauração econômica.
No Novo Testamento, o ministério de Jesus foi um ministério de transformação em que cegos passaram a enxergar, pobres se fartaram de pão, endemoninhados se tornaram livres e discípulos rústicos aprenderam a ser líderes.
Isso não nos serve de analogia de que Deus deseja que mudemos para melhor?
A verdade é que nossas escolhas poderão nos levar a sermos melhores ou piores.
Alguém já disse: “Pessoas são contratadas por causa de seu currículo, mas são demitidas por causa do seu comportamento”.
Isto porque toda realização pessoal, organizacional ou familiar depende de uma só coisa: comportamento.
Em minhas quase duas décadas orientando pessoas, famílias e até empresas, encontrei basicamente dois tipos de pessoas: aquelas que sempre culpam alguém por sua própria mediocridade e aquelas que, apesar de toda e qualquer adversidade, continuam agindo e realizando porque creem que Deus é suficientemente capaz de torná-las melhores.
Que tipo de pessoa é você?
A escolha é exclusivamente sua.