Sinais vitais da Espiritualidade

“Se vivemos pelo Espírito, andemos também pelo Espírito” (Gálatas 5:25).

Espírito em Hebraico é huach (vento), em grego pneuma e em latim spiritualis.
Todos descrevem o ar em movimento, como uma respiração.
A espiritualidade, portanto, é um tipo de vida, um respirar de Deus em nós.
O versículo no início pode ser considerado uma tautologia paulina sobre vida e espírito.
Aliás, na língua grega temos duas palavras para descrever vida: bios e zoe.
Em português a raiz destas palavras é utilizada em zoologia e biologia.
De modo simples, podemos afirmar que os termos descreviam originalmente a intensidade da vida e o outro a extensividade da vida.
Na Bíblia, me parece ser o caso, que zoe tem implicações morais, zoe parece ser o tipo de vida que Deus comunica aos homens.
Por esta razão, ser cristão de verdade não é apenas aprender algumas disciplinas religiosas, mas receber este tipo de vida.
Que recebe, pratica disciplinas espirituais porque “é” e não porque quer “ser”.
Assim, como de nada serve regar uma planta artificial, de nada vale alguém recitar textos bíblicos e até orar se nele não está a vida de Deus.
A vida de Deus em nós é um milagre que só Ele pode operar em nós.
Que sejamos fruto desse milagre e não apenas religiosos de plantão.