Servos de Deus

“… e libertos do pecado, fostes feitos servos da justiça” (Romanos 6:18).

Gosto da frase que diz que o ‘cristão é livre do pecado e não livre para pecar’.
A santificação nos dá poder para pensar com mais clareza, nos dá o querer para amar a Deus, para glorificar a Deus e agir em harmonia com a vontade de Deus.
A mim me chama muita atenção que em 1 Pedro 2, encontramos com muita clareza o v.15 com respeito à vontade de Deus.
Muitas vezes as pessoas me perguntam: “qual será a vontade de Deus para a minha vida?”.
Porém muitas vezes a vontade de Deus está ali, nua e crua, a vontade de Deus está explícita diante dos nossos olhos e não queremos abraçá-la.
Observe o v. 15: “Porque assim é a vontade de Deus, que, pela prática do bem, façais emudecer a ignorância dos insensatos”.
O texto é muito claro, devemos ter um estilo de vida tal que faça emudecer a ignorância dos insensatos.
Pedro está dizendo que esta é a vontade de Deus.
O contexto aqui (vv. 13-17) nos diz que o crente deve ser um cidadão obediente à lei, não podemos nos tornar infratores da lei em nome de Cristo ou da nossa fé.
Mas se a lei de determinado governo viola a vontade
revelada de Deus, é óbvio que estamos desobrigados disso. A lei de Deus é superior a todas as
leis e, ao cumpri-las, seremos cidadãos exemplares.