Sacrifícios vivos

Â

“Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional” (Romanos 12:1).

Â

Nessa sociedade em que vivemos, de múltiplas corrupções, Deus nos chama para fazermos a diferença.

Deus nos chama para sermos pessoas que honrem Seu Nome, pessoas cujas atitudes são sacrifícios aprazíveis a Deus.

Nós notamos tudo isso na vida de homens como Lutero, John Huss, John Wesley e tantos outros nomes.

Esses homens resolveram permanecer fiéis às verdades divinas, ao invés de se renderem à hipocrisia religiosa dos seus dias.

Obviamente, essa diferença não ocorre a partir das massas, e, sim, de indivíduos, de pessoas comuns como nós, que se conscientizam que chegou a hora de levar Deus a sério.

Devemos ser diferentes na essência do nosso ser.

Não é só no Antigo Testamento que Deus requer sacrifícios, mas no Novo também.

Obviamente, não do ponto de vista físico como eram praticados pela nação de Israel, no Antigo Testamento.

Mas, do ponto de vista espiritual, como vemos o apóstolo Paulo escrever em Romanos 12:1: ‘os vossos corpos em sacrifício vivo’.

Naqueles dias, o sacrifício acontecia com animais mortos, hoje, o sacrifício é vivo, e, acontece através dos nossos corpos, através de toda a extensão do nosso ser ‘santo e agradável’.

Â