Aguarde…

“E sabemos que todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito” (Romanos 8:28).

Certo poeta escreveu: “Só depois que o tear silenciar, e as lançadeiras cessarem de voar, Deus revelará o padrão e exporá o motivo por que os fios escuros tão necessários eram na mão habilidosa do Mestre como os fios de ouro e prata no padrão que Ele planejou”.
Quando Jesus lavou os pés de seus discípulos a confusão mental deles era evidente.
Afinal, lavar os pés era a função do escravo mais baixo de uma casa.
Mas, a resposta de Jesus aponta para um momento quando os mistérios serão desfeitos: “O que eu faço, tu não o sabes agora, mas entendê-lo-ás mais tarde”.
Há uma clara distância entre o começo, o inacabado e a conclusão…
A obra inacabada, tal qual uma peça produzida num tear, é um mistério até sua conclusão, quando finalmente, boquiabertos, contemplamos admirados a obra do artista.
Assim, não poucas vezes é a obra de Deus em nossas vidas.
“O que faço agora você não entende, mas entenderá depois”.
Todos nós já estivemos lá… no vale das obras incompletas, esse é o vale do ponto de interrogação…
Mas, devemos prosseguir, perseverar em fé até que cheguemos ao pico das obras concluídas quando já não mais teremos mistérios e os fios do tear farão sentido.