Adoração sem valor.

“… quando estendeis as mãos, escondo de vós os olhos; … Lavai-vos, purificai-vos, tirai a maldade de vossos atos de diante dos meus olhos; cessai de fazer o mal” (Isaías 1:15a,16).

Nos vv. 11-15 o Senhor rejeita totalmente o ritual apresentado pelo Seu povo.
O povo estava preocupado com os sacrifícios, com o incenso, com as festas, as orações, mas estavam ainda mantendo uma vida de iniquidade.
Eles achavam que simplesmente criando um aspecto estético de adoração, ou seja, uma boa coreografia, uma boa música, uma boa oferta, seria o suficiente para encobrir dos olhos de Deus as suas iniquidades, mas isso é um erro.
O v.11 nos deixa claro que Deus não estava condenando o sistema sacrificial estabelecido por Ele mesmo, o que Deus estava condenando aqui era exatamente a hipocrisia religiosa destas pessoas.
O coração daquele povo era um coração preso à maldade.
O v.15 diz: “Pelo que, quando estendeis as mãos, escondo de vós os olhos”.
Nas celebrações, era muito comum o povo estender as suas mãos em direção a Deus como quem vai receber alguma coisa, com as palmas das mãos viradas na direção de Deus.
Mas Deus olhava para aquelas mãos corrompidas, para aquelas mãos que não defendiam o direito dos carentes, que praticavam as injustiças, e responde que as mãos daquelas pessoas estavam cheias de sangue. O que Deus tem visto em nossas mãos?