Sê forte

“Esforça-te, e tem bom ânimo, porque tu farás a este povo herdar a terra que jurei a seus pais lhes daria” (Josué 1:6).

No capítulo 3 de Josué, Deus disse o que o povo devia fazer, mas não como fazer.
Só alcançamos as promessas de Deus se não ficarmos parados.
Nós estamos cercados de desencorajadores, pessimistas.
São profissionais em nos desanimar.
E, é por isso que precisamos incansavelmente estar em contato com a Bíblia, onde Deus constantemente diz: ‘Sê forte’.
“Resisti ao diabo e ele fugirá de vós”, resista aos desanimadores, aos desencorajadores.
Seja forte e corajoso contra eles.
Coragem de acreditar, coragem de confiar em Deus, coragem de seguir os estatutos de Deus, de seguir a Sua Palavra, ainda que isso seja para nadar na direção contrária a este mundo.
E para isso é preciso meditar na palavra de Deus dia e noite.
Em Josué 3:9-16, nós temos uma das passagens mais lindas do Antigo Testamento: O povo precisava atravessar o Rio Jordão.
Não havia ponte.
Quando os sacerdotes que carregavam a Arca da Aliança colocaram os pés na beira da água, o Jordão estava cheio.
Eles deram o primeiro passo, o segundo passo, ficaram com a água nas canelas, e, nada.
Até que todos molharam seus pés, e as águas pararam para que o povo atravessasse aquele rio.
Deus não quer que você faça o impossível porque Ele é quem vai fazer o impossível por você.
Mas, para alcançar Suas promessas, você precisa ser forte, corajoso e acreditar!
Não sei qual é o seu Jordão, mas seja forte e corajoso.
Dê seu passo de fé!

 

O pouco nas mãos de Deus

“Jesus, porém, lhes disse: Não precisam ir embora; dai-lhes vós de comer. Então eles lhe disseram: Não temos aqui senão cinco pães e dois peixes” (Mateus 14:16, 17).

Em Mateus 14:15-21, observamos que Jesus prova seus discípulos diante do problema que apresentam a Ele: cinco mil homens que o seguiam (além de mulheres e crianças) com fome.
Os discípulos não tinham onde comprar mantimento e, mesmo que houvesse um mercado, não havia dinheiro suficiente.
Jesus diz aos discípulos para eles mesmos darem ao povo de comer.
Ao invés de dizerem que não tinham nada, eles apresentaram cinco pães e dois peixes.
Eles sabiam que era insignificante para alimentar tanta gente, mas apresentaram algo.
E, a partir desses cinco pães e dois peixes, todos foram alimentados com a bênção de Jesus.
Isso também é verdadeiro nos dias de hoje.
Deus espera que apresentemos a Ele mais do que problemas, Ele espera que apresentemos o que temos, mesmo que seja insignificante.
Ele espera que tomemos parte nas bênçãos que Ele tem pra nós.
Mas devemos entregar o que está em nossas mãos para que seja multiplicado pelo Seu poder.
Não ignore o que Deus pode fazer a partir das pequenas coisas, porque para Deus nada é impossível (Lucas 1:37).

Quebrantado

“Os sacrifícios que agradam a Deus são um espírito quebrantado; um coração quebrantado e contrito, ó Deus, não desprezarás” (Salmo 51:17).

“Deus usa coisas quebradas. É preciso primeiro partir o solo para que este produza alimento. É preciso desfazer uma nuvem para que tenhamos chuva, é preciso partir o grão para que tenhamos pão, é preciso partir o pão para que tenhamos força. É preciso chorar para aprender a valorizar o sorriso” (Vance Havener).
Se alguma coisa se quebra, temos a tendência de simplesmente descartá-la.
Deus, no entanto, faz funcionar para sua glória aquilo que se quebrou.
Em Juízes, o grupo de Gideão foi dividido em três partes, suas principais armas: trombeta, tochas e cântaros que deveriam ser quebrados.
O que dizer ainda das tábuas da lei quebradas por Moisés para vividamente demonstrar a mensagem do dissabor de Deus pela rebeldia de seu povo? (Êxodo 32).
E ainda o que dizer sobre o vaso de perfume quebrado, a fim de que sua fragrância espalhasse por toda a casa? (Marcos 14).
Deus usa coisas quebradas!
Deus permite que os vasos se quebrem a fim de que seu verdadeiro conteúdo seja revelado.
Não porque Deus precise saber o que está dentro, mas nós precisamos saber o que realmente temos dentro de nós.
E, na verdade, não são os momentos tranquilos que revelam nosso verdadeiro conteúdo, mas os momentos difíceis, os momentos em que os vasos se trincam e quebram.

Envelhecer X amadurecer

“Portanto, vede diligentemente como andais, não como néscios, mas como sábios, usando bem cada oportunidade, porquanto os dias são maus” (Efésios 5:15-16).

Envelhecer não é uma opção, não depende de talento ou perseverança.
Se um jovem de 20 anos deitar-se na cama por um ano, sem qualquer esforço, no próximo ano completará 21.
Envelhecer independe de nossas escolhas.
Mas, amadurecer, tornar-se um ser humano melhor, depende de bem usarmos nossos dons e talentos, por isso Paulo orientou a Igreja em Roma no capítulo 12 sobre como deveriam bem usar seus dons, aliás fez o mesmo no que diz respeito à problemática igreja em Corinto.
Tornar-se alguém melhor depende de como responderemos aos problemas, às pressões e às dificuldades.
Amadurecer é produto de uma vida que pela graça de Deus persevera e por essa graça vai se tornando mais parecido com Jesus.
Afinal, não é esse o grande alvo da vida?
Tornar-se mais parecido com Jesus em seu caráter, amor e serviço?
Sim, todos vamos envelhecer, mas apenas poucos amadurecerão.
O autor de Hebreus exortou seus leitores “Mas, o alimento sólido é para aqueles que, pela prática, têm as suas faculdades exercitadas para discernir não somente o bem, mas também o mal”.
O exercício é o que leva-nos à maturidade, perseverantemente colocar em prática aquilo que está em nossa cabeça.

Deus ainda não terminou

“Aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até o dia de Cristo Jesus” (Filipenses 1:6).

Ezequiel foi um profeta que viveu cerca de 593 A.C. durante o reinado de Joaquim.
Sabemos que ele tinha ascendência sacerdotal.
Todos os sonhos desse homem estavam vinculados a um lugar, sua carreira dependia de uma atividade muito específica, pois toda sua vida consistia em se preparar para ser um sacerdote.
Mas esse sacerdócio só era possível em um templo: no templo do Senhor e em um só lugar: Jerusalém.
O problema é que seu povo se rebelou contra Deus praticando idolatria, imoralidade e ingratidão e, como disciplina, cerca de 10 mil judeus, inclusive ele próprio, foi levado para a Babilônia e o templo foi destruído.
O que dizer do seu sonho de se tornar um sacerdote no serviço a Deus e seu povo?
Estariam as circunstâncias acima do projeto de Deus para sua vida?
Nós enfrentamos a mesma pergunta quando vemos nossos sonhos se desfazerem diante dos nossos olhos.
Uma carreira desfeita, ou um sonho de família.
Deus se mostrou de modo extraordinário a Ezequiel, pois apesar de estar distante de sua terra, apesar de sua carreira parecer improvável, Deus tinha um plano para ele: não para exercer o sacerdócio como ele pensara anteriormente, mas ser um profeta!
Ser o porta-voz da mensagem de Deus!
Apesar das circunstâncias, Deus não tinha terminado com Ezequiel.
E com você não será diferente, apesar de suas circunstâncias Deus ainda não terminou sua obra em você.

Ele é capaz

“Aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até o dia de Cristo Jesus” (Filipenses 1:6).

Na vida, se você esperar até estar acima de crítica para perseguir um sonho ou objetivo, você nunca vai alcançar.
Você nunca vai se casar, você nunca vai decidir ter filhos ou criar os seus filhos, nunca vai ter o primeiro trabalho, você nunca irá pra missões, você vai estar sempre paralisado porque você está pensando em suas imperfeições.
Aliás a única maneira de fazer com que alguém não vá adiante na vida é constantemente lembrá-la de suas faltas de suas fraquezas.
Quando você aceita esse tipo de coisa, você não vai mais adiante.
A Bíblia é a mensagem de Deus que nos afirma constantemente que não devemos olhar para nós mesmos, para nossas falhas, mas devemos olhar para aquele que é poderoso pra fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos conforme seu poder que opera em nós (Efésios 3:20).
Devemos prosseguir não porque tenhamos todos os recursos e talentos, mas porque confiamos Naquele que os tem.
E, na verdade, se estamos buscando diligentemente fazer algo significativo que trará glórias a Deus e ajudará as pessoas, por que não ir adiante?
Afinal de contas aquele que começou boa obra em nossas vidas é fiel para completá-la até aquele glorioso dia.

Fidelidade a toda prova

“Este Daniel, pois, prosperou no reinado de Dario, e no reinado de Ciro, o persa” (Daniel 6:28).

Não sabemos nosso futuro.
Muitas vezes, gostaríamos de saber o que nos espera, o que nos aguarda no futuro.
Só Deus sabe da nossa vida como um todo: passado, presente e futuro.
Ele sabe o que tem preparado para nós.
Seus planos e propósitos, muitas vezes, não são entendidos por nós.
Enfrentamos provações, privações, tribulações…
Mas cada evento tem seu propósito se nos mantivermos em Seus caminhos.
Considere a história bíblica de Daniel: um moço que teve seu país invadido e foi levado como cativo.
Continuou temente a Deus, não se contaminou e manteve sua disciplina de oração.
Foi elevado a uma alta posição por causa da interpretação dos sonhos do rei.
Quando parecia estar tudo certo, quando tudo parecia correr bem, ele foi condenado a ser lançado na cova dos leões por sua fidelidade a Deus.
‘Que injustiça!’, ele poderia pensar.
‘Sou fiel a Deus e é isso que recebo como recompensa?’.
Mas ele permaneceu fiel e não negou seu Deus.
E lá, na cova dos leões, ele foi salvo de maneira espetacular.
Deus não nos abandona!
Mesmo nas mais difíceis provas da vida, Ele continua conosco assim como esteve com Daniel.
Nossa parte não é tentar adivinhar o futuro, mas permanecermos fieis ao Deus que nunca muda.

Como manter a fé?

“Estas coisas vos tenho dito para que tenhais paz em mim. No mundo passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo” (João 16:33).

A certeza de que Deus prometeu não nos abandonar deve servir de amparo nos momentos difíceis.
É possível manter a fé e ainda ter paz, mesmo nas maiores turbulências.
Em meio às dificuldades e sofrimentos que o ser humano atravessa no seu dia a dia, muitas vezes é difícil crer que existe uma saída ou solução.
Como manter a confiança em meio a tantas frustrações e lutas?
Na vida temos duas opções: guiar-nos pelas circunstâncias (o que algumas vezes é insuportável) ou guiar-nos pela fé, confiando em Jesus apesar das circunstâncias.
O versículo do início pode servir de amparo nos momentos de aflição.
Este texto mostra que passar por aflições, tribulações e lutas é regra na experiência humana e não a exceção.
Por isso Jesus disse: no mundo passais por aflições.
Ele não disse: talvez.
Por mais que se queira fugir, os sofrimentos são inevitáveis, mas a vitória de Jesus também é inevitável.
Aos discípulos de Jesus cabe apenas ter bom ânimo.
Poderíamos parafrasear as palavras de Jesus assim: “a minha vitória também é sua, o mundo ofereceu seu pior a mim, mas emergi vitorioso”.
Na vida coisas terríveis nos sobrevirão, mas também poderemos emergir vitoriosos. Creia e continue firme.

Você crê?

“Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que morra, viverá; e todo aquele que vive, e crê em mim, jamais morrerá. Crês isto?” (João 11:25, 26).

A afirmação do versículo acima é do próprio Jesus.
Ele afirma que quem crê Nele, jamais morrerá.
Após a afirmação, faz uma pergunta, que no episódio em questão foi dirigida à Marta, mas pode ser dirigida a cada um de nós.
Crês isto?
Crês que se creres em Jesus jamais morrerás?
Ao dizermos sim a essa pergunta, ao dizermos que cremos que jamais morreremos, mas que estaremos para sempre com Jesus, devemos demonstrar isso em nossa vida diária.
Se cremos que nossa alma é imortal, se cremos que jamais morreremos, como deveríamos tratar a morte física?
Como deveríamos encarar a morte do corpo e não da alma?
Nós, os que cremos em Cristo temos esperança incalculável!
Nós, discípulos de Jesus Cristo, temos a garantia de uma alma que viverá para sempre, não morrerá jamais.
É essa certeza que nos consola em momentos de perda, em momentos de morte física daqueles que professam e creem no nome de Jesus.
É essa certeza que nos faz seguir em frente e aguardar o dia em que estaremos junto com Ele e junto aos que se foram antes de nós.
Crês isto?

 

Faz bem à saúde

“E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações” (Atos 2:42).

Se eu te apresentasse algo que pudesse melhor seu sistema imunológico equilibrar sua pressão sanguínea e acrescentar de dois a três anos a sua vida…
Você estaria interessado?
Pois uma das mais espetaculares descobertas científicas no campo de pesquisas religiosas é que fazer parte de uma igreja e frequentá-la semanalmente faz bem a saúde.
A pesquisa foi publicada pela Dra. Tanya Marie Luhrmann professora da prestigiada Universidade de Stanford e articulista do jornal New York Times.
Mas é verdade que muitos não gostam de igreja e, de fato, muitas críticas podem ser feitas às igrejas, mas essas críticas não se devem à natureza essencial da igreja, mas ao fator humano sempre presente em uma igreja.
Não é de admirar que 45% do Novo Testamento tratam de como nos relacionarmos uns com os outros.
O problema da igreja é um problema simples: um problema de humanidade!
Mas não é esse problema que enfrentamos em todas as esferas relacionais?
Uma empresa pode ter os melhores e mais modernos equipamentos, mas ainda assim terá que lidar com o fator humano.
Famílias inevitavelmente lidam com o mesmo fator.
No entanto, o que as pesquisas demonstram é o que a Palavra de Deus ensina há muito tempo: não nascemos para sermos uma ilha.
Se você está vivendo dificuldades de relacionamentos, ore, busque a Deus para que te dê graça e sabedoria para lidar com as diferenças.
Certamente ao vencer esse desafio você será alguém com mais maturidade.