Provisão

“Assim, pois, amados meus, como sempre obedecestes, não só na minha presença, porém, muito mais agora, na minha ausência, desenvolvei a vossa salvação com temor e tremor, porque Deus é quem efetua em vós tanto o querer como o realizar, segundo a Sua vontade” (Filipenses 2:12,13).

Nesta passagem nós vemos a ação de Deus em nossas vidas.
Não devemos entender que temos que fazer algo para recebermos a salvação.
Quando o texto diz: “… desenvolvei a salvação…”, está dizendo que esta salvação que recebemos pela graça, está em
nossa vida e ela pode permear todas as outras áreas.
Mas como isto se dará?
Dar-se-á através da Ação Divina no nosso ser, porque Deus é quem efetua em nós, tanto o querer como o realizar,
segundo a vontade Dele que opera em nós.
Portanto, nós temos a Provisão Divina para podermos viver as expectativas de Jesus.
Quanto mais deixarmos a Palavra nortear a nossa vida, menos ansiosos nos tornaremos.
Quando respondemos ao convite de Jesus, ficamos mais aliviados.
Vivemos em um mundo no qual em um piscar de olhos tudo muda rapidamente.
O que ocupa o lugar número 1 em nossas vidas?
Porque tudo pode mudar em um segundo.
Qual é a sua prioridade?
A prioridade de nossas vidas deve estar ligada à expectativa de Deus, porque à medida que respondemos a esta expectativa encontramos o alívio oferecido por Jesus.

A maior necessidade de um filho

“Os filhos são herança do Senhor, e o fruto do ventre o seu galardão” (Salmo 127:3).

Vivemos num mundo corrido, e é raro termos tempo para conversar, dialogar, trocar ideias com os nossos familiares.
Nos esquecemos da importância da comunicação, passamos várias horas assistindo televisão juntos, mas, sem nos comunicar.
Entramos em uma rotina perigosa, porque acabamos nos afastando de nossos familiares, sem termos conhecimento dos problemas, angústias, aflições que estão passando.
Não podemos permitir que haja esse distanciamento familiar.
Precisamos uns dos outros.
Precisamos nos envolver e participar da vida de nossos familiares.
Nossos filhos precisam se sentir amados.
Educá-los nos caminhos do Senhor é um dever de cristão.
Passar a nossos filhos que Deus é o Modelo de Pai que seguimos, os tornará mais confiantes em nossos ensinamentos.
Amar a Deus e viver a Sua Palavra deve ser o lema de nossas vidas.
O lar é a primeira escola de uma criança.
A infância deve ser regada com muito amor e carinho preparando a criança tanto para esta vida como para a vida eterna.
A maior necessidade de um filho é que seus pais o conduzam no caminho do Senhor: “Ensina a criança no caminho em que deve andar, e ainda quando for velho, não se desviará dele” (Provérbios 22:6).

Preparando jovens para a vida

“Se é ministério, seja em ministrar; se é ensinar haja dedicação ao ensino” (Romanos 12:7).

O ensino das Escrituras é uma ordem de Deus.
Para evangelizar é necessário conhecer muito bem a palavra de Deus, estudar a Bíblia, para podermos transmitir toda a sabedoria que ela contém.
Precisamos aproveitar todo tempo para a leitura de bons livros bíblicos, que tirem nossas dúvidas e acrescentem informações ao nosso conhecimento.
A formação de uma criança depende de seus pais.
Por isso o culto doméstico é muito importante.
É nossa obrigação ensinar aos nossos filhos a palavra de Deus de maneira simples e clara.
É raro, hoje em dia, encontrarmos famílias que façam o culto doméstico, pais que reservem horas para ensinar a seus filhos boas maneiras, atitudes corretas, amor e temor a Deus.
Os jovens de hoje, em sua maioria não temem a Deus, não conhecem a palavra de Deus.
Vivem loucamente nesse mundo de perdição. Como faz falta uma boa educação religiosa!
Através dela vamos preparar nossos jovens para serem não apenas bons cidadãos, mas cidadãos felizes.
Benditos os professores das escolas dominicais que desempenham bem a sua missão.
As famílias estão se desintegrando porque está faltando o conhecimento básico que é a palavra do Senhor.
Só com ela teremos condição de preparar nossos jovens para a vida.

Ele cuida de nós.

“E o mar começava a empolar-se, agitado por vento rijo que soprava…, eis que viram Jesus andando por sobre o mar,… Mas Jesus lhes disse: Sou eu. Não temais!” (João 6:18-20).

Os discípulos perceberam que Jesus continuava a olhar por eles.
Ele havia permanecido em terra, havia subido ao monte, mas não os havia esquecido.
Jesus não estava tão ocupado a ponto de ignorá-los; mesmo quando Ele retirava-se para estar sozinho, ainda carregava em Seu coração Seus discípulos.
Este episódio nos mostra que não é porque seguimos a Cristo que tudo se torna mais fácil, temos que lutar bravamente contra as ondas, contra as dificuldades.
Ele nos deixa lutar nossas batalhas e vencê-las, pois Ele não está criando mimados espirituais, pessoas frágeis.
Ele está produzindo homens e mulheres de Deus, discípulos seguidores Seus.
Como um pai que assiste um filho aprendendo um trabalho ou praticando um esporte, o pai não irá fazer todas as coisas por este filho, mas Ele estará lá olhando. “Quando você não conseguir, quando realmente você estiver prestes a afundar, ou quando você precisar do meu apoio estou aqui, estou olhando por você”.
Viver a vida cristã não quer dizer que tudo será mais fácil, algumas vezes será bem mais difícil, porém temos a garantia de que Cristo está olhando nossas vidas, Ele está cuidando de nós.

Ele é Bom

“Rendei graças ao Senhor, porque ele é bom, porque a sua misericórdia dura para sempre. Diga, pois, Israel: Sim, a sua misericórdia dura para sempre” (Salmo 118:1, 2).

O Salmo 118 é um Salmo muito bonito, e fala a respeito da adoração a Deus pelo Seu amor fiel, pela Sua misericórdia.
O salmista fala como encontrou triunfo de Deus a despeito de todas as nações ao redor de Israel que buscavam destruí-los.
Ele exalta a Deus pelo fato de que a salvação de Deus é tão especial em sua vida, ao ponto de que a pedra que os construtores rejeitaram se tornou a pedra angular, aquela sobre a qual Deus edifica a Sua obra.
Mas pense comigo neste convite: Rendei graças ao Senhor, porque Ele é bom, ou seja, expresse a sua gratidão a Deus porque Ele é bom.
O texto começa falando a respeito de algo que Deus é e não necessariamente a respeito de algo que Deus fez.
É óbvio que dentro do texto o salmista também nos falará a respeito de várias coisas que Deus fez, porque um dos estímulos que temos para a adoração é reconhecer quem Deus é e o que Deus faz.
Em resposta a esse chamado, a este reconhecimento da bondade de Deus, a nação toda de Israel e a casa sacerdotal, todos aqueles que temiam a Deus deveriam declarar que a misericórdia do Senhor dura para sempre, ou seja, que o amor fiel de Deus permanece para sempre.

Deus criador

“Esse, pois, que vós honrais sem o conhecer, é o que vos anuncio” (Atos 17:23).

Os gregos levaram Paulo para o areópago, uma espécie de tribunal oficial, que também era conhecido como o monte de Marte.
Ali Paulo pregou um de suas mais belas mensagens.
Ele começa polidamente dizendo: “Em tudo vos vejo acentuadamente religiosos” v.22.
Paulo então lhes chama a atenção a um altar dedicado a um deus desconhecido v. 23.
E utilizando isso como sua introdução, ele passa a falar sobre o verdadeiro soberano Deus, a respeito de quem eles estavam ignorantes.
Paulo diz que esse Deus é o criador: “O Deus que fez o mundo e tudo o que nele há, sendo ele Senhor do céu e da terra, não habita em templos feitos por mãos de homens; nem tampouco é servido por mãos humanas, como se necessitasse de alguma coisa; pois ele mesmo é quem dá a todos a vida, a respiração e todas as coisas”, vv.
24, 25.
Os gregos criam em diferentes teorias sobre a origem da vida, sobre a criação, alguns até sustentavam alguma forma de evolucionismo.
Mas, Paulo claramente disse que Deus criou todas as coisas e Ele não vive em templos criados, em templos feitos pelos homens.
De fato, Deus é quem nos doa todas as coisas, vida, graça, misericórdia e nós não temos condição de dar nada a Deus.
Qualquer coisa que ofereçamos a Ele, Ele aceitará apenas por Sua graça.

Deus o abençoe

“Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele” (João 14:21).

No início do ano, li uma reportagem que transcrevia o diálogo entre dois sócios no fim do ano anterior.
Um deles dizia que Deus havia abençoado demais a empresa deles e agora deviam descansar.
Interessante afirmação de reconhecimento da mão de Deus se não partisse de um ladrão de bancos!
Será que Deus era o doador dessa “bênção”?
Era Deus quem ajudava a quadrilha a ser bem sucedida no roubo a tantos bancos?
É claro que não!
Mas a afirmação do bandido nos leva a pensar: sabemos quem é Deus e o que Ele espera de nós?
Deus nos deixou mandamentos e, através de Jesus, nos ensinou que aqueles que O amam, cumprem Seus mandamentos e será amado de Deus (João 14:21).
E quais são esses mandamentos?
No início, Ele nos deixou os 10 mandamentos.
Com a vinda de Jesus, esses mandamentos se resumiram em dois: ‘Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento’ e ‘Amarás o teu próximo como a ti mesmo’ (Mateus 22:37, 39).
Portanto, ao buscar a bênção de Deus ou saber se ela está sobre você, considere, pondere, memorize e viva os mandamentos deixados por Ele.

O bom soldado de Cristo 2

“Nenhum soldado em serviço se envolve com negócios desta vida, porque o seu objetivo é satisfazer àquele que o arregimentou” (2 Timóteo 2:4).

O soldado é alguém consagrado ao serviço.
Uma vez que alguém tenha se alistado na campanha, não pode mais cuidar dos negócios deste mundo.
Seus negócios não serão mais comuns, ele é um soldado a serviço do seu general.
Um soldado é um soldado e nada mais que um soldado…
Isto não quer dizer que o cristão não se envolverá em atividades nesta terra, mas significa que em tudo que se engaje, seu primeiro objetivo é promover o desejo do seu
general, é promover o evangelho.
Assim, o cristão é alguém que, movido pela graça, consagra tudo o que é e tudo o que tem a serviço de seu general.
O soldado é alguém treinado a obedecer.
O treinamento do soldado consiste em torná-lo apto a obedecer seu comandante sem qualquer questionamento, até que a obediência se torne um instinto, e este tipo de obediência possa garantir a sua segurança e daqueles à sua volta.
Ser soldado é saber que existem momentos em que não teremos a chance de saber o “porquê”.
O soldado não vê a batalha no todo, seu general sim…
Por isso as decisões pertencem ao General.
O dever de todo Cristão é obedecer à voz de Deus, e aceitar até mesmo aquilo que não consegue entender.

O bom soldado de Cristo – 1
“Nenhum soldado em serviço se envolve com negócios desta vida, porque o seu objetivo é satisfazer àquele que o arregimentou” (2 Timóteo 2:4).

Quais seriam as qualidades que Paulo poderia admirar num soldado em seus dias?
Proponho algumas a seguir.
De fato, conhecê-las nos ajuda a discernir se somos verdadeiros Cristãos: O soldado é condicionado a sacrificar-se.
O Cristão deve estar pronto a sacrificar seus desejos, seus recursos e a própria vida pela causa de Cristo.
É bem diferente da legião de falsos cristãos, sempre em busca de quem lhes oferecerá o melhor serviço.
Não estão dispostos a coisa alguma que lhes custe tempo, talento ou tesouro.
O soldado é condicionado à fidelidade.
Quando um soldado unia-se ao exército de Roma,
ele fazia um juramento de fidelidade ao seu imperador. E a virtude mais admirada num soldado romano era sua fidelidade.
O Cristão deve ser fiel a Jesus Cristo diante de toda e qualquer circunstância da vida, mesmo que, às vezes, isto implique em andar nas sombras da morte.
Seja como for, Paulo diz a Timóteo que o soldado tem apenas um objetivo “satisfazer aquele que o arregimentou” (2 Timóteo 2:4).
Assim, já temos um extraordinário objetivo para nossas vidas: a satisfação d’Ele e não a nossa.

Deus detesta o divórcio

“Eu detesto o divórcio, diz o Senhor Deus de Israel…” (Malaquias 2:16a).

No versículo acima vemos a vontade de Deus a respeito do casamento.
Problemas sempre aparecerão em qualquer casamento.
Não é fácil duas pessoas diferentes se moldarem uma à outra.
Mas, os casais tementes a Deus, com certeza encontrarão na palavra do Senhor o suporte para enfrentar as tentações, conflitos, diferenças, e conseguirão ter um casamento que durará para sempre.
E é isto que Deus quer. Para sermos felizes nesta vida e na eternidade, precisamos conhecer e viver a Palavra do Senhor.
Temos uma grande responsabilidade diante de Deus que é ouvir Sua Palavra e cumpri-La.
A vontade de Deus é que o esposo e a esposa fiquem casados até que a morte os separe.
Deus une esposo e esposa em um só ser e essa união deverá ser permanente.
Deus detesta a mentira e a quebra de promessa, e, no casamento religioso, quando os noivos estão perante o Senhor, eles fazem uma promessa: “Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem” (Marcos 10:9).
Algumas palavras devem ser cultivadas entre os casais: ”Preciso de você”; “Me perdoe”; “Obrigado(a)”; “Eu amo você”; “Sinto muito orgulho de você”; “Você é maravilhoso(a)”.
Com a ajuda de Deus, conseguiremos enfrentar os problemas familiares e seremos abençoados por Deus.