Ele é o primeiro

“Não temas; eu sou o primeiro e o último” (Apocalipse 1:17c).

Jesus é Senhor absoluto quando as coisas dão certo, mas Jesus continua soberanamente Senhor quando as coisas dão errado.
Jesus é Senhor quando estamos sorrindo, quando nos alegramos, quando tudo vai bem em nossa vida, quando o jardim floresce.
Mas Jesus continua sendo Senhor (e não é menos Senhor) quando sofremos, quando choramos, quando encontramos apenas espinhos em nossos jardins.
Não existe parte neste universo, não há experiência que possa anular o senhorio de Jesus.
Ele é Senhor deste mundo e Ele é Senhor do mundo do porvir.
Quando João escreveu o Apocalipse, o imperador Domiciano pensava ser o soberano sobre todas as coisas, pensava ser o primogênito, aquele que tem autoridade, aquele que tem honra, que tem poder, que tem preeminência, que tem o primeiro lugar.
Ele pensava que podia praticar todos os seus desmandos, pensava que podia praticar tudo aquilo que seu coração desejasse sem ser confrontado por ninguém.
Mas ele estava enganado.
Jesus é o primogênito.
Jesus continuava tendo toda a primazia, embora os cristãos estivessem sofrendo severa perseguição.
Mas a revelação de Jesus a João, era que Jesus continuava sendo aquele que tem a autoridade, aquele que tem honra, que tem poder, que tem preeminência, quem tem o primeiro lugar.

Aguarde…

“E sabemos que todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito” (Romanos 8:28).

Certo poeta escreveu: “Só depois que o tear silenciar, e as lançadeiras cessarem de voar, Deus revelará o padrão e exporá o motivo por que os fios escuros tão necessários eram na mão habilidosa do Mestre como os fios de ouro e prata no padrão que Ele planejou”.
Quando Jesus lavou os pés de seus discípulos a confusão mental deles era evidente.
Afinal, lavar os pés era a função do escravo mais baixo de uma casa.
Mas, a resposta de Jesus aponta para um momento quando os mistérios serão desfeitos: “O que eu faço, tu não o sabes agora, mas entendê-lo-ás mais tarde”.
Há uma clara distância entre o começo, o inacabado e a conclusão…
A obra inacabada, tal qual uma peça produzida num tear, é um mistério até sua conclusão, quando finalmente, boquiabertos, contemplamos admirados a obra do artista.
Assim, não poucas vezes é a obra de Deus em nossas vidas.
“O que faço agora você não entende, mas entenderá depois”.
Todos nós já estivemos lá… no vale das obras incompletas, esse é o vale do ponto de interrogação…
Mas, devemos prosseguir, perseverar em fé até que cheguemos ao pico das obras concluídas quando já não mais teremos mistérios e os fios do tear farão sentido.

Deus é quem luta por nós

“Neste encontro, não tereis de pelejar; tomai posição, ficai parados e vede o salvamento que o Senhor vos dará… porque o Senhor é convosco” (2 Crônicas 20:17).

É maravilhoso ver a ação de Deus, e ver como Deus é poderoso para nos livrar e nos garantir o salvamento que necessitamos.
Toda a nação de Israel está atemorizada diante da grande multidão que vem contra eles.
Toda a nação está sentindo que a ruína se aproxima.
Mas quando eles clamam a Deus, Deus imediatamente responde àquela oração dizendo: “não tenham medo, vocês sequer vão precisar lutar esta batalha, Eu vou lutar por
vocês, e a sua parte é confiar em mim”.
Se Deus lhe dissesse isso hoje, você conseguiria confiar em Deus?
Você conseguiria dizer por um momento: ‘Deus, resolva as coisas ao Seu modo, eu estou indo até lá e sei que o Senhor é que vai vencer a batalha’?
Deus não disse pra que eles ficassem em casa de pijamas, dormindo até as 11 da manhã, ou qualquer coisa assim, Deus disse: ‘vocês vão até lá, eu quero vocês no campo de batalha, eu quero vocês posicionados, preparados, mas lembrem-se: quem vai pelejar sou Eu.
Quem vai garantir a vitória sou Eu’.
Crede, confiem, acreditem na mensagem de Deus, confiem em Deus.
Era tudo o que eles precisavam fazer, é tudo que nós precisamos fazer: confiar em Deus.

Deus é quem luta por nós

“Neste encontro, não tereis de pelejar; tomai posição, ficai parados e vede o salvamento que o Senhor vos dará… porque o Senhor é convosco” (2 Crônicas 20:17).

É maravilhoso ver a ação de Deus, e ver como Deus é poderoso para nos livrar e nos garantir o salvamento que necessitamos.
Toda a nação de Israel está atemorizada diante da grande multidão que vem contra eles.
Toda a nação está sentindo que a ruína se aproxima.
Mas quando eles clamam a Deus, Deus imediatamente responde àquela oração dizendo: “não tenham medo, vocês sequer vão precisar lutar esta batalha, Eu vou lutar por
vocês, e a sua parte é confiar em mim”.
Se Deus lhe dissesse isso hoje, você conseguiria confiar em Deus?
Você conseguiria dizer por um momento: ‘Deus, resolva as coisas ao Seu modo, eu estou indo até lá e sei que o Senhor é que vai vencer a batalha’?
Deus não disse pra que eles ficassem em casa de pijamas, dormindo até as 11 da manhã, ou qualquer coisa assim, Deus disse: ‘vocês vão até lá, eu quero vocês no campo de batalha, eu quero vocês posicionados, preparados, mas lembrem-se: quem vai pelejar sou Eu.
Quem vai garantir a vitória sou Eu’.
Crede, confiem, acreditem na mensagem de Deus, confiem em Deus.
Era tudo o que eles precisavam fazer, é tudo que nós precisamos fazer: confiar em Deus.

Nas mãos do oleiro

“Tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até o dia de Cristo Jesus” (Filipenses 1:6).

Por que, apesar de nosso empenho e cuidado, nos deparamos com o irremediável fato de que isso ou aquilo deu errado?
O diagnóstico do médico não era aquele que esperávamos e pedíamos a Deus.
A resposta do advogado não era a que desejávamos e nos vemos no beco escuro de lágrimas e tristezas.
Estaria a vida desgovernada?
Ou como disse William Shakespeare “Uma divindade molda nossos fins, desbasta-os como queremos…”.
Nos meus momentos de intranquilidade, permito ecoar em meu coração as inspiradas palavras apostólicas: “Todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus” (Romanos 8:28) e assim aceito que cada dor, tristeza e pesar carrega em si um motivo.
Que mesmo na falsidade que me vem ao encontro há uma razão.
Que mesmo em minha solidão a divina mão do oleiro não me abandona.
Pela fé descansamos nas poderosas mãos do oleiro sabendo que Ele é bom e sábio e, quando Sua obra em nós for concluída, os mistérios se desfarão e agradeceremos até mesmo pelas lágrimas mais amargas.

 

Estímulo e resposta

“Disse-lhe Jesus: Mulher, podes crer-me que a hora vem, quando nem neste monte, nem em Jerusalém adorareis o Pai… Mas vem a hora e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são estes que o Pai procura para seus adoradores” (João 4:21, 23).

Adoração é uma resposta que damos a Deus por tudo o que Ele é, por tudo o que Ele faz e por tudo o que Ele venha a fazer.
Jesus na passagem acima esclarece que nós devemos como adoradores ter de forma muito clara o objeto de nossa adoração, ou seja, o que adoramos, a quem adoramos.
Você deve ter notado a palavra ‘Pai’.
Quando dizemos que a adoração é uma resposta, precisamos entender que resposta é sempre o resultado de algum estímulo.
Por exemplo, alguém que goste de carros quando vê um carro bonito, responde de determinada maneira.
Assim somos nós, aqueles que têm o coração grato quando ouvem a respeito de Deus, respondem positivamente a respeito de Deus; quando pensam em Deus, respondem positivamente; quando ouvem canções que falam de Deus, respondem positivamente, porque eles têm esse estímulo, Deus é o grande estímulo de suas vidas.
Então por Deus ser este grande estímulo, a resposta é a adoração.
Que Deus e Sua obra em nós seja sempre esse estímulo que nos leve a responder em adoração.

Cuide da verdade

“Assim também a língua é um pequeno membro, e se gaba de grandes coisas. Vede quão grande bosque um tão pequeno fogo incendeia” (Tiago 3:5).

No ano de 2012 um terrível atentado ocorreu em uma escola em Connecticut nos Estados Unidos.
Alguns setores da mídia, no desejo de identificar o suspeito, passaram a divulgar nomes e perfis do Facebook.
Uma das pessoas que teve seu nome divulgado teve seu perfil compartilhado mais de 14.000 vezes em um só dia!
Ele recebeu mensagens como “Você é um homem morto!”.
“Como você pode fazer isso com criancinhas, seu canalha?”.
Mas, o homem que estava sofrendo todas essas ameaças não tinha qualquer relação com o triste episódio.
Tratava-se de uma falsa informação.
A Bíblia nos adverte quanto aos cuidados de não passarmos adiante informações que não sejam reais.
Um grande alerta é o descrito por Tiago quanto aos pecados da língua.
Hoje com o advento de novas tecnologias como redes sociais devemos também ter cuidado com as informações que compartilhamos e maior cuidado ainda para não passarmos adiante uma informação que não seja verdadeira.
Diz um ditado que espalhar uma falsa informação é como subir num prédio com saco cheio de penas e deixá-las levar pelo vento.
Ainda que você corra cada canto da cidade para recuperá-las, você acabará deixando uma delas pelo caminho.

Oração traz paz

“Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus” (Filipenses 4:6, 7).

Precisamos reconhecer que, quando enfrentamos pressões, a nossa tensão interior eleva-se, as preocupações se multiplicam e, não poucas vezes, nossa vida cristã pode ser abalada.
Sentimo-nos como hipócritas porque sabemos o que deveríamos viver, mas não vivemos à altura desta sublime mensagem.
Mas há uma solução para que o nosso mundo interior esteja em ordem e a solução está na passagem acima.
A solução não apenas para manipularmos as circunstâncias da vida, mas para que o nosso coração esteja em paz.
E apenas uma palavra define a resposta para todas as nossas ansiedades: oração.
Exatamente, oração.
Falar com Deus, conversar com Deus, abrir o coração para Deus a respeito de tudo e a respeito de todos.
Apesar de tudo e apesar de todos.
Se eu simplesmente conversar com Deus, é o que diz o texto, se eu simplesmente orar, se eu simplesmente mantiver este relacionamento dinâmico com Deus, se eu conversar com Deus a minha mente será purificada, a minha tensão diminuirá e eu desfrutarei de paz.

Máscaras e Marcas

“Por que estás abatida, ó minha alma? Por que te perturbas em mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, meu Salvador e meu Deus” (Salmo 42:5).
O tempo sempre deixa marcas em nossas vidas.
Marcas às vezes muito profundas de uma infância sofrida, uma juventude infeliz, uma família desestruturada, um casamento
que se arrasta sem compreensão, perdas irreparáveis de pessoas queridas.
Todo ser humano tem marcas, pois o próprio Jesus nos diz em Sua Palavra: “… No mundo tereis aflição, mas tende bom ânimo, pois eu venci o mundo” (João 16:33).
Como não permitir que essas marcas nos façam sofrer?
Como não permitir que essas marcas dilacerem continuamente nosso coração, a ponto de fazer sofrer quem está ao nosso
lado, querendo nos ajudar?
Não podemos ser escravos das marcas que a vida deixa em nós.
Não devemos permitir que essas marcas nos atormentem, lembrando de coisas que devemos esquecer.
Se colocarmos máscaras para esconder nossas marcas, para fingir com um sorriso falso que estamos sempre muito bem, tudo vai se complicar.
Porque as máscaras, com certeza, um dia cairão.
E daí?
As marcas aparecerão e nos engolirão com sofrimentos terríveis.
O que fazer?
É fácil.
Entregar todas as marcas aos pés Daquele que veio para nos salvar.
Entregar todas as marcas, todo fardo, todo cansaço, todo complexo, toda tristeza a Jesus (Mateus 11:28).

A quem agrado?

“Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema” (Gálatas 1:8).

A palavra ‘anátema’ quer dizer ‘destinado à destruição’, qualquer um que perverta o evangelho, que ensine outra mensagem seja destinado à destruição.
Jericó, no Antigo Testamento, foi uma cidade condenada.
Por isso, quando tomaram a capa babilônica, quando tomaram bens preciosos da cidade para desfrutarem deles, aqueles que o fizeram acabaram por se tornar também consagrados à destruição.
Mas por que Paulo está dizendo algo tão forte?
Por que Paulo não usa meias palavras?
Porque ele não busca a aprovação dos homens (v. 10), Paulo estava explicando que servir a Deus por amor trazia um custo prático maior que a redução medíocre legalista dos judaizantes do seu tempo.
Paulo queria agradar a Deus, e agradando a Deus, ele expressa que a salvação se dá por obra divina e não há como o homem fazer isso por suas próprias forças.
Você já se fez esta pergunta?
A quem você quer agradar? A quem você está agradando?
Há momentos na vida que é bom agradar aos outros, não há nenhum problema nisso; há momentos que queremos agradar a nós mesmos, mas em todos os momentos na vida nós devemos buscar a agradar a Deus, pois a Deus seja a glória pelos séculos dos séculos.
Amém!