Ele cura

“Passou a sega, findou o verão, e nós não estamos salvos” (Jeremias 8:20).

A linguagem de Jeremias, que se torna proverbial, é uma referência agrícola a um cultivador que precisa da colheita para suprir as suas necessidades e acaba por não conseguir colher os seus frutos, embora ainda precise dos frutos para suprir as necessidades de sua família.
Noutras palavras, Jeremias estava dizendo: é tarde demais.
Tínhamos esperança, tínhamos planos, mas agora é tarde demais, o que amávamos se foi, passou a colheita, o verão findou: não fomos salvos.
Você já sentiu isso na vida?
Cuidou de seus filhos, foi um cônjuge fiel, mas quem você amava se foi.
Você talvez colocou tudo em sua profissão, em sua igreja no seu ministério, mas o que você amava se foi.
E essa perda deixou feridas.
Deus pode curar qualquer um que Dele se aproxime com sinceridade.
O único que pode curar o coração ferido, diante da terrível perda é o próprio Deus; ninguém pode substituir o consolo que Ele nos pode oferecer.
Por mais precioso que seja o que perdemos, nada nem ninguém pode substituir o conforto e o consolo do nosso Deus.
Por mais preciso que nos seja alguém, nada pode substituir a Deus. Busque a Deus, clame a Deus, deixe-O tratar de suas feridas.
Afastar-se de Deus não lhe trará a cura, trará amargura, mas Deus pode curar você.

Jesus é a solução

“Eis que a mão do Senhor não está encolhida, para que não possa salvar; nem agravado o seu ouvido, para não poder ouvir. Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que não vos ouça” (Isaías 59:1, 2).

O mundo ainda não se deu conta de que o pecado nos separa de Deus, Deus não tem parte com o pecado.
Veja, o problema não é que Deus esteja com a mão encolhida ou que Ele não esteja ouvindo, o problema é que existe um fardo pesado chamado pecado que está separando você e Deus.
O pecado traz efeitos colaterais terríveis.
O texto de Isaías 48:22 nos diz assim: “Mas os ímpios não têm paz, diz o Senhor”.
O que este texto quer dizer é que quando nós nos engajamos no pecado, a paz desaparece de nossos corações, este é um efeito colateral que ele produz.
Além do que, o pecado é causa da morte física e espiritual, há uma separação.
A palavra ‘morte’ significa separação, então, vivemos separados de Deus quando estamos atolados no pecado.
Mas no texto de Mateus 11:28 nós temos um convite, um convite de Jesus para você: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei”.
Ao aceitarmos o convite, nos aproximaremos de Jesus e o pecado não mais terá poder sobre nós (Romanos 6:14).

Ele está perto

“Perto está o Senhor de todos os que o invocam, de todos os que o invocam em verdade” (Salmos 145:18).

Mesmo quando passamos por situações difíceis e temos a sensação de que Deus não não está ali, a verdade é que Deus está presente e está trabalhando ativamente em nossas vidas.
Talvez nós não estejamos entendendo o que Deus está fazendo, talvez não estejamos enxergando Suas poderosas mãos, mas a providência divina está presente.
Por assim dizer, Deus está trabalhando por trás das cortinas.
Êxodo 1:20 diz: “E Deus fez bem as parteiras, e o povo aumentou e se tornou muito forte”.
Deus está presente, Deus está agindo embora aos olhos do povo é como se Deus não estivesse ali.
Para os ouvidos daquele povo, era como se Deus estivesse em silêncio.
Mas este capítulo nos mostra que Deus estava multiplicando a nação, não obstante as tentativas impiedosas de aniquilá-los.
Eu e você passamos por problemas e por dificuldades.
As pressões do dia a dia parecem tentar nos aniquilar, os problemas parecem nos fazer desistir de tudo e temos a terrível sensação de que Deus não está falando conosco, de que Deus não está presente.
Mas digo a você que Deus está presente e Deus está agindo, mesmo quando não percebemos.
Podemos não ver Deus agindo naqueles momentos difíceis, mas lembre-se Deus está presente, Deus está com você.

Deus vê o interior

“Mas o Senhor disse a Samuel: Não atentes para a sua aparência, nem para a grandeza da sua estatura, porque eu o rejeitei; porque o Senhor não vê como vê o homem, pois o homem olha para o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração” (1 Samuel 16:7).

Qtexto acima nos leva à história de profeta Samuel ao ser guiado por Deus na escolha do novo rei para o povo de Israel.
Diante do desfile dos filhos de Jessé, ele, baseado no que seus olhos podiam ver, escolheria o moço mais vistoso, o mais forte, o mais alto…
Mas o Senhor Deus o orientou na escolha que vai além das aparências.
Deus é capaz de ver o coração.
E assim, guiado por Deus, o profeta escolhe Davi: o homem segundo o coração de Deus.
O que isso é capaz de nos ensinar hoje?
Somos limitados e incapazes de fazer nossas próprias escolhas.
Precisamos da orientação de Deus diariamente.
Ao escolhermos um sócio para um empreendimento, ao escolhermos um funcionário, na escolha de uma amizade, de um(a) namorado(a) não devemos confiar em nós mesmos, na nossa visão limitada.
Precisamos dos poderes especiais de visão do nosso Deus porque Ele, e somente Ele, é capaz de ver o coração.
Ele sabe o que é melhor para nós, assim como sabia o que era melhor para Israel.
Confie n’Ele, ore e peça Sua sábia direção hoje mesmo.

Como se manter puro?

“De que maneira poderá o jovem guardar puro o seu caminho? Observando-o segundo a tua palavra” (Salmo 119:9).

Com° alguém pode se manter puro em uma sociedade que se torna suja, deteriorada?
Não poucos comerciais de televisão trazem mensagens imorais para dentro dos nossos lares; outdoors ao redor dos grandes centros urbanos trazem mensagens pornográficas; não poucos empresários vivem uma vida de corrupção; não poucas famílias são destruídas por atos de infidelidade conjugal.
A pergunta é: como eu e você podemos viver uma vida pura e limpa, numa sociedade suja e que se deteriora a cada dia?
A resposta é: “observando-o segundo a Tua palavra”, observar os nossos caminhos de acordo com a palavra de Deus.
Agora, poderíamos perguntar: “será que isso se aplica exclusivamente aos jovens?”, porque o v. 9 diz: “como poderá o jovem manter puro o seu caminho?”.
A resposta é óbvia: não! Esta verdade se aplica a todos nós, esta verdade se aplica ao homem jovem, se aplica à mulher jovem, se aplica às crianças, se aplica aos mais velhos, aos adultos.
Por vivermos em uma sociedade corrupta, poluída precisamos andar de acordo com a palavra de Deus para que possamos ter uma vida pura.
Enchermos nossa mente com a verdade bíblica.
É assim que alguém pode andar em pureza.

Dependência

“Para que em tudo Deus seja glorificado por meio de Jesus Cristo, a quem pertencem a glória e o domínio para todo o sempre. Amém” (1 Pedro 4:11).

Eu e você enfrentamos dificuldades todos os dias quando notícias desastrosas nos são apresentadas, quando o diagnóstico do médico é terrível, quando a pessoa a quem amamos e dedicamos toda nossa vida nos diz ‘eu não te amo mais’, ou quando acabamos por descobrir que um filho se envolveu com drogas.
Nosso coração se atemoriza porque não temos controle das coisas que sentimos e, portanto, sentimos medo; mas o medo precisa ser canalizado da maneira apropriada, devemos canalizar o nosso medo como uma fonte que nos levará ao encontro do Deus Todo Poderoso.
Nós devemos nos aproximar Dele em oração e, quando fizermos isso, vamos entender que Deus é glorificado diante da nossa dependência.
Nós dependemos Dele e Ele é glorificado por isso.
Eu acredito que essa é uma das razões por que Jesus disse em João que o Pai seria glorificado porque o Seu povo está investindo tempo em oração.
Diz assim a Palavra de Deus: “E tudo quanto pedirdes em meu nome, isso farei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho” (João 14:13).
Quando nós reconhecemos nossa dependência e nossa limitação, Deus é glorifica-do através de nossas vidas.
Você é dependente de Deus?
Você reconhece a sua carência d’Ele?

Um tesouro dentro de nós

“Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus e não de nós” (2 Corintios 4:7).

No versículo acima, Paulo nos fala sobre um tesouro que temos em vasos de barro.
O que seria esse tesouro a que Paulo se refere?
Pelo contexto podemos concluir que o tesouro pode ser o conteúdo da mensagem do Evangelho ou o próprio Cristo.
Cristo em nós, tesouro em vasos de barro.
O conteúdo do Evangelho tem de ser a própria pessoa de Cristo.
Cristo é este tesouro em vasos de barro.
Os vasos de barro eram baratos, quebráveis e substituíveis, mas eram úteis para o uso doméstico.
Algumas vezes eram usados para guardar coisas valiosas como dinheiro, joias ou documentos importantes.
Mas, na maioria das vezes, eram utilizados como lixeira.
Portanto, o que determinava o valor do vaso era o seu conteúdo e não a sua natureza.
Por esta razão Paulo concluiu: para que a excelência do poder seja de Deus e não de nós (v. 7c).
Porque todos nós somos exatamente isso: vasos de barro, frágeis, facilmente substituíveis.
Quando estamos sob as pressões do dia a dia pensamos em desistir de tudo, afinal somos vasos fracos; nossa tendência é desistirmos, jogarmos tudo para cima.
Mas lembre-se, o valor do vaso não está na nossa natureza, mas no tesouro dentro de nós.

Restauração 2

“… Vivei em paz; e o Deus de amor e de paz será convosco” (2 Corintios 13:11).

A seguir, os três últimos passos para a restauração da família:
5. Relacionamento da pessoa com a família estendida: A maioria dos problemas conjugais se espalha para o resto da família.
Alienação, ofensas e mal-entendidos contribuem para a desintegração do casamento.
Aquele que deseja reedificar sua família precisa tornar-se um construtor de pontes e não de cercas.
A chave para isto é a humildade, é preciso pedir perdão, confessar os erros e estar disposto a ouvir o que for necessário.
6. Relacionamento da pessoa com a igreja: Aquele que deseja restaurar o seu casamento deve viver entre irmãos maduros.
O apoio espiritual de outros, as orações e os louvores congregacionais são ferramentas poderosas para fortalecimento pois precisamos uns dos outros.
Por isto, procure uma igreja séria que contribua com o processo de restauração.
7. Relacionamento da pessoa com a retidão: Todos sabemos que os conflitos conjugais são terríveis e que não causam nenhum prazer.
Apesar disso, devemos permanecer fiéis a uma vida de retidão.
No processo de lutas conjugais, algumas pessoas se envolvem em situações nas quais o testemunho cristão fica comprometido.
Para que haja restauração conjugal é necessário que tenhamos uma vida de retidão e de bom testemunho.

Restauração 1

“… Vivei em paz; e o Deus de amor e de paz será convosco” (2 Corintios 13:11)

Há algum tempo atrás, chegou-me às mãos um modelo para restauração da família.
Creio que este modelo pode ser bem útil.
1. Relacionamento da pessoa com Deus: A pessoa que deseja reedificar sua família precisa entregar-se a Jesus para iniciar seu relacionamento com Deus (Jo 1:12).
Ela deve manter uma vida devocional, orar, ler a Bíblia e regularmente buscar a Deus para ter um viver puro e um coração cheio de coragem para suportar as dificuldades do processo de restauração.
2. Relacionamento da pessoa consigo mesma: Uma das grandes causas dos problemas de relacionamento tem a ver com conflitos interiores e com situações que precisam ser resolvidas.
Isto envolve frustrações e falsas expectativas.
3. Relacionamento da pessoa com seu cônjuge: Esta é a parte mais difícil, pois podem haver feridas profundas ou cicatrizes.
Lembre-se que em primeiro lugar seu assunto é com Deus.
Se você quer agradar a Deus, terá disposição para seguir as palavras de Jesus.
4. Relacionamento da pessoa com seus filhos: Lembre-se que o projeto de Deus é que pai e mãe estejam envolvidos no processo de ensinar e de treinar os filhos nos caminhos divinos (Deuteronômio 6:6,7).
Os filhos precisam do cuidado, da correção, da provisão e do amor de seus pais.

Ouve-me quando levanto as mãos!

“Ouve-me quando levanto as mãos na direção do teu santo templo, e grito pedindo a tua ajuda” (Salmo 28:2).

Este versículo me faz lembrar uma história acontecida há muito tempo, com um tio, crente extremamente zeloso, homem de oração, um exemplo de cristão.
Acometido de fortes dores abdominais, e, impossibilitado de alimentar-se, ouviu de seu médico, após muitos rodeios, que sua saúde estava precária e, que teria que passar por uma cirurgia, cujo sucesso era incerto.
Prognóstico, nada alentador!
Após ouvir toda a explicação, dita de forma cautelosa, qual não foi a surpresa do médico, quando meu velho tio lhe disse: ‘Doutor, amo a vida, dom de Deus, farei tudo que estiver ao meu alcance para recuperar minha saúde, porém entendo os Planos de Deus, e sei que se chegada a minha hora, estou preparado para encontrar-me com o meu Salvador! Portanto, em qualquer das situações estou perfeitamente tranquilo’.
Então, meu irmão, está com medo de quê?
Todos os misteriosos atos da providência cooperam para o nosso bem.
João 3:27 nos diz: “O homem só tem o que lhe for dado pelo céu”.
Você deve estar se questionando sobre o epílogo desta história.
Pois bem, meu tio foi operado, recuperou-se, e só veio a falecer muitos anos depois, em avançada idade, deixando-nos este belo exemplo de fé e confiança.